O EXERCÍCIO DO PENSAR SOBRE OS PRECONCEITOS: COMO ADOLESCENTES HOMOSSEXUAIS SÃO VISTOS PELOS (AS) PROFESSORES (AS) NA ESCOLA?

Edinaldo Andrade Barros, Hugo Monteiro Ferreira

Resumo


Este trabalho investiga a compreensão dos professores e professoras acerca da homossexualidade e como lidam com os estudantes ditos ou declaradamente homossexuais. Os principais objetivos são: compreender o nível de aceitação ou rejeição dos/das professores/as em relação aos estudantes homossexuais na escola e suas implicações no combate aos preconceitos sofridos por eles; entender o nível de conhecimento dos (as) docentes acerca das identidades sexuais; Estabelecer comparação entre a negação do preconceito no discurso e na prática; descobrir as principais dificuldades dos (as) professores (as) para se trabalhar a temática em sala e na escola como um todo. Os fundamentos metodológicos têm ligação com a abordagem da pesquisa qualitativa aplicada a uma situação de análise do conteúdo e do discurso a partir da exibição do documentário “Bichas, o documentário”, para professores e professoras de uma escola da rede municipal de ensino da cidade do Recife. Como principais resultados do estudo, temos: a) a escola demonstra incapacidade de trabalhar com a temática; b) a compreensão de que a escola pode ser elemento influenciador na orientação sexual dos alunos; c) o entendimento de que a homossexualidade é um problema impróprio para ser discutido na escola.


Palavras-chave


Homossexualidade, Preconceitos, Professores, Estudantes, Escola

Texto completo:

PDF

Referências


Associação Brasileira de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais. Secretaria de Educação. Pesquisa Nacional sobre o Ambiente Educacional no Brasil 2015: as experiências de adolescentes e jovens lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais em nossos ambientes educacionais. Curitiba: ABGLT, 2016.

BARDIN, L Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70, 1977

BORRILO, Daniel. Homofobia; história e crítica de um preconceito. Trad. Guilherme João de Freitas Texeira- Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2010.

BRITZMAN, Deborah. O que é esta coisa chamada amor: identidade homossexual, educação e currículo. Educação & Realidade, Porto Alegre, v. 21, n. 1, p. 71-96, jan/ jun 1996.

LOURO, Guacira Lopes. Gênero, sexualidade e educação: uma perspectiva pós-estruturalista. Petrópolis: Vozes, 1997

MEYER, ZM e Borges, DE (2008). Limites e possibilidades de uma ação educativa na redução da vulnerabilidade à violência e à homofobia. Ensaio: Aval. Pol. Públ. Educ., RJ, v. 16, n. 58, p. 59-76.

MOTT, Luiz. Homossexualidade: mitos e verdades. 1ª ed. Salvador: Grupo Gay da Bahia, 2003.

OLIVEIRA, É. C. S. e MARTINS, S. T. F. Violência, Sociedade e Escola: da recusa do diálogo à falência da palavra. Psicologia & Sociedade, 19(1), p. 90-98; jan/abr, 2007.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2017 Leitura em Revista

Instituto Interdisciplinar de Leitura PUC - Rio
Rua Marquês de São Vicente, 225, Gávea -
Rio de Janeiro, RJ - Brasil - 22451-900
Cx. Postal: 38097 - Telefone: (55 21) 3527-1960

© 2016 iiLer PUC-Rio Todos os direitos Reservados - Webmaster responsável : Viviane Moreira